Total de visualizações de página

sábado, 21 de agosto de 2010

Tappuware de carne loca

Carne louca em vinagrete,
Ao menos mostra uma acidez madura,
Desafia teu estomago com fungos, trufas.
Sua fibra é louvável,
A deixar-se amarrar,
prender-se no seu retrogosto
É sentir prazer do externo dolo.
Carne louca é dor parnasiana,
Pra doer por apenas semana.

Carne loucura.
Em um tapuware de látex,
Ao sugo de um período.
Repousava uma carne rouca.
De perfume guardado,
Escorregava em silicone
E guardava seu couro,
para usar toda a caça
Bateu lhe aa porta um estranho gemido,
Escravo aturdido, abriu-se a prender
Neste mudo dela.
Trancou porta,
Lacrou janela.
Comeu sua carne louca,
E acabou com essa monotonia.

Nenhum comentário: