Total de visualizações de página

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Versunido

Tão perfeitos
seres somos,
Há arquitetura
en nossas celulas,
Somo pontes,
esquinas,
aureos.
Uma matematica de moleculas.
Cada canto escuro,
curva oblicua,
Cada atomo pensado,
calculado.
Somos experiencia,
empiricos,
Cobaias de um legado,
Genesis,
somos.
Nos recriamos,
nos decompomos,
Crescemos como humanos.
O tempo passa
e passam tempos.
O estar humano
segue perfeito.
Como parte
de um todo numerico.
Entre parentesis equacionais,
Esperamos o sinal de igual?
Ser e estar perfeito.
É estar e ser completo.
Uma vontade do inteiro.
Somos onde estamos.
Fundidos, tudo é e está, supremo.

Um comentário:

mariana alberge disse...

que delícia...poeta!!!