Total de visualizações de página

quinta-feira, 24 de julho de 2008

Louco como qualquer insano.
Ele levava dentro de si.
Todo o prazer mundando.
A maior lascivia que vi.

Babava e gritava aos ventos.
Metia medo em toda a gente.
Assustava os menos atentos.
Com sua verdade incoerente.

Maluco pela humanidade.
Não cansava de perguntar:
“O senhor é de verdade?
Deixa então te beliscar”.

Balbuciava e gemia palavras doces.
Era amigo do povo inutil.
Lhes dava humor a doses.
Com sua maneira pueril.


Doido por tocar uma pele.
Levava sempre consigo.
Uma atitude que impele.
O mais fiel inimigo.


Pulava e sorria pro nada.
Era feliz por assim estar.
O prazer da ultima gozada.
Um eterno gargalhar.

2 comentários:

Hector Bisi disse...

Giniiiiiiii.

Duca. Estás produzindo bastante, irmão.
Quando sai o " Homem Mundano "?

Saudades
Bisi

Anônimo disse...

Espero que até o fim do ano, esteja pronto pra publicar! A coisa eh que to fazendo ilustracoes de cada poema q eh dedicado a alguma moça!

saudades tmb!

gini