Total de visualizações de página

terça-feira, 13 de maio de 2008

Sujeira Mano

Uma vida limpa,
suja só nos cantos.
Um dia limpido,
fechado só nos prantos.
Casa,
comida
e roupa lavada.
Doméstica vida
empregada.
Empregnada
de vida doméstica.

A vida! aseada, escovada.

Nao defendo a moral dialetica.
Estou querendo prezar a estetica.
As coisas fluem
mais rapido.
O pensamento se sente
mais apto.
Tal beleza sofreu
um rapto.
Esfrega,
enxagua,
mas nao dobra.
Arruma
mas deixa uma sobra.
Domesticando
outros problemas.
Outras conversas,
sobre outros temas.
O caseiro comodismo falta.
Descoberta de outros valores.
O sanar de outras dores,
Novo despencar da ribalta.

Tchum! Chuaaaaaa!

Um comentário:

Camila Fremder disse...

Demorou pra vc fazer isso!

Tá todo mundo aki, estamos lendo e adorando, o Tédio disse que te liga amanha, a insônia manda bjos, estamos esperando a madrugada, mas ela nao deve demorar muito...

bjos

Aquela lá.